Mês: setembro 2015

A Psicodinâmica Traumática da Violência Sexual

A situação de violência sexual pode envolver agressão, ameaças, intimidação psicológica, ferimentos e invasão do corpo e acarretar provável trauma psicológico. Soares (1999) afirma que o discurso sobre violência doméstica no Brasil ainda está calcado no silêncio. A compreensão sobre o lugar que a vítima ocupa dentro de seu próprio imaginário, sua autoimagem, o que pensa e considera de si própria, o quanto acredita que vale e merece receber da vida e suas crenças em relação à própria capacidade são alguns dos aspectos que podem ser afetados por essa experiência. Segundo Early (1993), a violência do abuso sexual pode levar à delimitação confusa das próprias barreiras e dos próprios limites, estigmatização, vergonha, traição, dissociação e repetição. O mesmo autor (1993) ressalta que a invisibilidade é o desejo de muitas vítimas de violência sexual. As vítimas veem a si mesmas como “sujas”, “feias” e “nojentas”. O autor sustenta a tese de que com a dissociação do trauma psicológico surgem a negligência e o abandono da pessoa que foi abusada. A mulher se vê imunda e percebe a si mesma e ao seu corpo com vergonha. A sobrevivente desse trauma, ao ter suas barreiras violentadas, tenta construir novos limites entre si mesma e o mundo. Porém, tais delimitações são construídas improvisadamente pela dinâmica do trauma, por meio de ganho de peso, desleixo pessoal, falta de cuidado consigo mesma ou a procura...

Leia mais

O Quarto do Deprimido

  A tristeza constante, muitas vezes sem se saber o porquê. O vazio, a dor, o desleixo total, a vontade de estar só, sem ninguém por perto. O sono, muito sono. Muito sono mesmo: às vezes, a vontade de dormir pode ser tanta que se pode desejar nunca mais acordar. A depressão é a grande doença da nossa era. A crise de que tanto se fala, a loucura social e as pressões a que somos submetidos todos os dias são algumas das justificativas para o aumento do número de casos, mas pode ser mais do que isso. A depressão pode chegar a nós sem nenhum motivo ou causa aparente. Aquela sensação de vazio que não vai embora. A depressão pode ser endógena (provocada por fatores biológicos), ou exógena (provocada pelas circunstâncias do dia-a-dia).  Mesmo nos casos endógenos o meio ambiente circundante infere, e muito, no tratamento da pessoa deprimida. Para ajudar alguém a sair de um estado depressivo, tudo tem de ser negociado, é muito importante não se impor nada. E quando uma depressão entra já numa fase mais avançada, o que é que acontece? As pessoas não saem da cama sequer, não tratam da higiene pessoal e o quarto fica um caos. Quando se chega a este extremo pode decidir acabar com a vida. É uma tristeza sem fim. Um dos sintomas do Transtorno de Personalidade Borderline é,...

Leia mais

Excesso de selfie está relacionada à Falta de Sexo, diz Estudo

Então quer dizer que você já publicou uma selfie hoje, né? Temos más notícias! Apareceu uma pesquisadora holandesa chamada Christyntje Van Galagher da Universidade de Wageningen, que divulgou um estudo super sério que relaciona a elevada exposição pessoal dos usuários do Instagram ao nível de carência sexual. Como assim? Calma! Eu explico… De acordo com o estudo, as selfies que viraram mania entre os internautas seriam um grito de socorro de pessoas oprimidas pelo abandono. Juro! http://superpride.com.br/…/selfie-tirada-apos-o-sexo-vira-m… http://superpride.com.br/…/conheca-o-pornostagram-o-instagr… O estudo denominado “Het fotograferen van ontbering en eenzaamheid”, (Fotografando a carência e a solidão, em tradução livre), interpreta as fotos selfies como sendo uma fuga digital da realidade concreta marcada pela insegurança e o medo do abandono. Para a doutora em Psicologia Christyntje Van Galagher, “os viciados em selfies avaliam seu nível de bem-estar baseados nos likes que a imagem que construíram de si mesmo recebem. Usam filtros e tecnologias de manipulação de imagem para venderem uma imagem aos fãs. No entanto, a vida real é sem photoshop”. O estudo entrevistou 800 pessoas adeptas deste hábito e detectou que 83% não possuem vida sexualmente realizada. O número que mais choca é o contraste entre a publicação de imagens e a prática sexual. A média de postagem de imagens selfies por parte dos entrevistados é de 45 fotografias mensais e apenas 2 relações em igual período. “O tempo que eles correm...

Leia mais

Adiando a Aposentadoria (Sexual)

Interesse no sexo permanece durante a velhice, mas apresenta desafios: é preciso cuidar da saúde e conhecer e aceitar os limites A qualidade das pesquisas sobre o interesse sexual da população idosa não é satisfatória, pois tanto a metodologia de entrevistas face a face como aquela que utiliza autorrespostas apresentam problemas, além de serem baixos os índices dos questionários respondidos e postados. Dentre aqueles com amostra ampla e cujas entrevistas foram presenciais, um estudo americano(3.005 adultos, 75% de respostas) confirmou que, apesar de o interesse em sexo ser menor entre os mais velhos, quase 60% ainda lhe atribuem importância, sendo 41,2% dos homens e 11,4% das mulheres, entre 75 e 85 anos. Este mesmo estudo destacou que o interesse sexual cresceu entre os homens idosos na última década, provavelmente com o advento dos remédios que facilitam a ereção. No Brasil, coordenamos uma pesquisa que avaliou cerca de 10 mil pessoas com mais de 40 anos. Entre aquelas acima dos 60, 92,7% dos homens e 50,9% das mulheres referiram ter vida sexual. Chama a atenção o menor índice feminino. A perda do parceiro, sendo mais comum para as mulheres, explica essa interrupção para boa parte delas. Mudanças físicas associadas ao processo de envelhecimento interferem na resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo) e, mais que isso, repercutem negativamente sobre o corpo e o psiquismo. Já se sabe que as doenças podem prejudicar...

Leia mais

Me apaixonei por um amigo. e agora?

Vocês se conhecem há tempos, têm um relacionamento muito legal, confiam um no outro e até contam as aventuras amorosas que vivem, em seus mínimos detalhes. Consideram-se praticamente irmãos, saem sempre juntos, compartilham amigos, segredos e sonhos. Um baita privilégio ter alguém assim por perto, com quem a gente se dá tão bem e, principalmente, com quem pod…e contar para o que der e vier! Amigo é mesmo “coisa para se guardar debaixo de sete chaves, dentro do coração…”, como tão lindamente canta Milton Nascimento. Porém, contudo, no entanto… num belo dia, sem que você esteja contando com isso, olha para essa pessoa e sente que ela está muito mais dentro do seu coração do que você imaginava. Tão dentro que o faz acelerar, bater descompassadamente. Tão forte que faz você suar frio! Assustada, confusa, você se pergunta: o que é isso? O que está acontecendo comigo? Será que to ficando maluca? E de repente, “cai a ficha”! Sim, você está apaixonada pelo seu amigo! E a primeira e constante pergunta que se faz agora e pelos próximos intermináveis dias, é: e agora? Bem, se a recíproca for verdadeira e os dois se derem conta de que a amizade está pedindo algo ainda mais íntimo e intenso, e se os dois estiverem solteiros e desimpedidos, então não há o que se perguntar. Penso que é hora de conversarem sobre...

Leia mais